Domingo.

 

A saudade me matava

e eu matava a saudade,

num dia de guerra e competição

foi mais ternura e simpatia.

 

Nos olhares disfarçados,

nos discursos improvisados,

nos sentimentos contidos

despir-me inteira…

 

Senti a brisa do amor…

Senti a angústia do querer,

quase não suportei,

mas suportei por inteira.

 

Tão lindo quanto…

Tão lindo como…

Tão simples e harmonioso

que dormi como um anjo,

querendo estar com o anjo.

 

 

Clareanna V. Santana. 17/03/2008

Published in: on Julho 14, 2008 at 3:17 am  Deixe um Comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://clareamente.wordpress.com/2008/07/14/domingo/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: