Fugir

 

Ocultar no vento

Esconder nos morros

Camuflar nas estradas…

 

Nos trovões que Deus mandou

Para simbolizar suas energias

E trazer o medo,

Mostrar desprezo

Pelo que é tão pequeno.

 

Faz tanto tempo que não escutava

A voz daquilo que não acredito.

Não vejo, e não faz falta.

Só a mãe… A minha mãe.

Sou filha da mãe!

 

Acorda! Ele disse!

Eu digo: me deixe!

Faça-me o favor!

 

E mais um trovão!

Mais um jargão

Clichês… Clichês…

 

E vou-me embora.

 

 

Clareanna V. Santana 20/03/2008

Published in: on Julho 14, 2008 at 3:16 am  Deixe um Comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://clareamente.wordpress.com/2008/07/14/fugir/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: